---------------------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------------------

Crítica mundial desaprova ausência da série Harry Potter nas principais categorias do Oscar


No Dia 24 de Janeiro saiu a lista dos indicados ao Oscar 2012, e apesar da grande expectativa dos fãs e da crítica, "Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2" foi indicados em somente três categorias, todas técnicas.

Lembrando que o filme recebeu o prêmio de Tomate de Ouro, prêmio dado pelo site Rotten Tomatoes ao filme mais elogiado do ano, com nota positiva de 96% dos críticos de cinema ao redor do mundo, mais isso não se levou a consideração ao Oscar. Engraçado que filmes que já levaram este premio foram indicados em diversas categorias no Oscar e até ganhou algumas estatuetas. Será que o Oscar não gosta de "Filmes Comercias" ou ele não gosta e de "Harry Potter"?.

Confira o que os críticos de cinema ao redor do mundo comentaram sobre as não indicações ao Oscar:



Harry Potter e as Relíquias do Oscar 
NBC Miami ~ Jere Hester 
24 de janeiro de 2012 
Tradução: Lorena Aquino 
Revisão: Evandro Lira

Haverá, sem dúvidas, alguns espectadores na noite do Oscar desejando jogar um feitiço Expelliarmus para tirar o troféu das mãos do vencedor de Melhor Filme e colocar nas mãos de Harry Potter.

“Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2,” o desfecho final da franquia mais bem-sucedida da história cinematográfica não ganhou uma indicação de Melhor Filme na terça-feira, assim como todos os outros sete filmes da série. Não que Harry Potter ganhasse – ou necessariamente merecesse ganhar. Mas ele merecia uma última tentativa de agarrar o troféu, mais esquivo que um pomo de ouro.

Harry, porém, não é o único perdedor no equivalente da Copa do Mundo de Quadribol de Tinseltown’s. Por esnobar uma série de filmes tão amada por jovens cinéfilos, Hollywood pode ter amaldiçoado a si mesma.

A relação esquizofrênica de Hollywood com filmes populares de alta qualidade que efetivamente promovem ação e efeitos especiais para contar uma história, vem desde “Star Wars,” que perdeu em 1977 para o clássico “Annie Hall.”

Pelo menos Star Wars, o revolucionário da indústria, foi nomeado. Depois da falha em não nomear “O Cavaleiro das Trevas” em 2008, Oscar dobrou o campo de Melhor Filme para 10, apesar de as mudanças subsequentes nas votações transformarem o processo num crapshoot de nove nomeados.

O novo sistema não fez muito para as produções superiores, de grandes investimentos. Claro, o impressionante “Avatar”, em algumas medidas o maior “fazedor” de dinheiro do cinema, foi nomeado mas perdeu para “The Hurt Locker” em 2009. Para “O Senhor dos Anéis”, foi preciso três tentativas para que aquele anel malvado ganhasse o Melhor Filme em 2003.

Os filmes de Potter começaram como diversões de família. Mas como os livros de J.K. Rowling, os filmes se tornaram cada vez mais obscuros e complexos. “Harry Potter e a Ordem da Fênix” merecia uma estatueta. A última nomeação, no entanto, deve ser a batalha interna e externa mais forte, cheia de perdas irreparáveis e com tons de cinza que, esperamos, solidificará um garoto de óculos, excluído do mundo trouxa e bruxo, como um dos maiores heróis de ação de todos os tempos.

Harry é certamente um herói para essa geração que foi criada em livros e filmes – uma geração que não vai se ver muito bem representada na maior noite de Hollywood. Não é bom para os negócios quando o maior sucesso financeiro do ano quando a maioria das bilheterias não alcança nenhuma grande nomeação (“Relíquias da Morte” foi nomeado em três categorias técnicas).

O único filme de fantasia com uma pelo multigeracional a conseguir entrar em Melhor Filme foi o incrível “Hugo,” que pode ser o melhor filme de Martin Scorsese que não tem Robert DeNiro no elenco. Hollywood ama “Hugo” porque é um filme metalinguístico sobre filmes, feito por um produtor forçado a esperar décadas para conseguir seu trabalho direito como diretor.

Diferente do imparável Scorsese, o tempo de telas de Harry Potter acabou. Ele ganhou a batalha final entre bom e mau, mas o Oscar não permitiu que ele lutasse. Até mesmo Voldemort deu a Harry essa chance…




HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2
O desdém à Potter no Oscar confunde a Indústria
Contact Music
25 de janeiro de 2012
Tradução: Jenifer Cestari
Revisão: Evandro Lira


A omissão de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 da lista de indicados à melhor filme foi o assunto de comentários de muitos blogs e jornais na terça-feira – sem falar o balde de água fria que foi nos estúdios de Hollywood. A Warner Bros. havia feito uma grande campanha para indicações e apenas foi lembrado em um dos grandes prêmios – se direção de arte for considerado um grande prêmio. (Recebeu também indicações em outras duas categorias técnicas). O desdém pareceu mais incômodo ainda quando apenas nove títulos acabaram na categoria de melhor filme. Como nas regras da academia, até dez filmes poderiam ser indicados, a organização provavelmente sentiu que mais nenhum filme, incluindo o aclamado pelo público e pela crítica Relíquias da Morte entre eles, merecia. O colunista da MTV.com Kevin P. Sullivan escreveu que uma indicação ao filme teria “desafiado os estereótipos e sacudido a competição que provavelmente deixará muitos telespectadores roncando”. O crítico da New York Post Film Kyle Smith disse que a lista não era uma boa notícia para a ABC, que transmitirá o evento do Oscar. Foi “deixado claro que a cerimônia no dia 26 de fevereiro estará entre uma das edições menos assistidas do evento em colapso”, escreveu Smith. E Jere Hester, que escreve para o blog da NBC de Nova York, concluiu que Harry não foi o único “perdedor no equivalente a Copa do Mundo de Quadribol da cidade de Tinseltown. Por esnobar uma série de filmes amados por jovens cinéfilos, Hollywood amaldiçoou a si mesma”. (Vários blogs de filmes também estavam cheios de comentários de espectadores arrancando os cabelos pela inclusão de Tão Forte e Tão Perto na lista e a omissão de Drive. A inclusão de virtualmente desconhecido Demián Bichir na categoria de melhor ator e a omissão tanto de Michael Fassbender e Ryan Gosling, sem dúvida os dois atores mais aclamados pela crítica do último ano).



HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2
‘Harry Potter’ e os Oscars – porque o menino bruxo foi desprezado
Movies Blog MTV ~ Kevin P. Sullivan
24 de janeiro de 2012
Tradução: Isadora Moraes
Revisão: Evandro Lira


Nesta manhã, fãs de Harry Potter do mundo inteiro tiveram que encarar uma grande decepção. A esperança de que “Relíquias da Morte – Parte 2” pudesse conquistar a glória do Oscar foi destruída e queimada hoje com o anúncio das indicações.

Não eram apenas os fãs que rezavam para uma grande noite no Oscar. A Warner Bros. deu um grande empurrão para que considerassem o prêmio com sua onipresente campanha “Considere”. Muitos tinham esperança de uma indicação para Melhor Filme e talvez reconhecimento, finalmente, para Alan Rickman e Severo Snape.

Alas, “Relíquias da Morte – Parte 2” não ficou entre os finalistas, apesar da relativamente longa lista de nove indicações para Melhor Filme, uma a menos que o limite. Mas será que os sonhos de premiações foram apenas ilusões dos fãs que saíram do controle?

Quando um filme arrecada mais de um bilhão de dólares mundialmente, é preciso prestar atenção. Quando um filme recebe louvor unânime dos críticos, é preciso prestar atenção. Apesar desses dois enormes fatores,
“Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2” conseguiu apenas três indicações, todas na categoria técnica.

O desprezo revela a suprema teimosia da Academia, e dois fatores altamente superficiais e triviais levaram à decepcionante manhã de Harry.

Em primeiro lugar, para os juízes da Academia, os filmes de “Harry Potter” se encaixam em dois dos gêneros menos preferidos do Oscar: filme infantil e fantasia. No entanto, há notáveis exceções para cada. Neste mesmo ano, “Hugo”, ‘um filme infantil’, recebeu o maior números de indicações que qualquer outro filme, mas sem seu diretor auteur* por trás das câmeras, teríamos tido um resultado muito diferente. E, apesar de seu ambiente de fantasia, “O Senhor dos Aneis” ganhou Melhor Filme nas três partes, mas seu tom mais sombrio e épico presente desde o começo tornou-os mais amigáveis ao Oscar.

Em segundo lugar, “Relíquias da Morte – Parte 2” foi o oitavo filme de uma série e a segunda metade de uma história completa. Coisas superficiais como um número após o título podem fazer a diferença e lançar decepção até mesmo para o filme mais qualificado. Se você tirar o contexto e o foco dos verdadeiros méritos do filme, teria dificuldade em argumentar que um filme como “Avatar”, que tem escala e bilheterias a longo prazo igualmente comparáveis, merecia o reconhecimento que “Relíquias da Morte” não recebeu.

A avaliação da Academia teria sido mais compreensível se a lista de indicados tivesse sido mais forte esse ano. Tirando “A Árvore da Vida”, os indicados para Melhor Filme formam o grupo mais seguro e amigável ao Oscar dos últimos tempos. Uma indicação para “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2” teria desafiado os estereótipos da Academia e causado rebuliço em uma corrida que está destinada a deixar muitos telespectadores roncando.

* Um diretor que exercita controle criativo sobre seu trabalho e tem um estilo pessoal muito marcante.


HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2 
Melhor Filme: Não ‘Missão Madrinha de Casamento’ ou ‘Harry Potter’? Qual filme deveria ter sido o décimo candidato? 
Pop Watch, Entertainment Weekly ~ Aly Semigran 24 de janeiro de 2012 
Tradução: Raquel Monteiro
 Revisão: Evandro Lira


Sempre a madrinha. Enquanto seria injusto, e, francamente falso, dizer que Missão Madrinha de Casamento foi ignorado pela Academia (a performance hilária de Melissa McCarthy deu a ela uma merecedora indicação a Melhor Atriz Coadjuvante, enquanto Kristen Wiig e Annie Mumolo pousaram justamente entre os nomeados para Melhor Roteiro Original pela sua relacionável, infinitamente citada comédia), ainda há uma grande rejeição que paira sobre a cabeça do filme: A nomeação de Melhor Filme para o 84º Oscar.

Por causa da ‘nova regra’ do Oscar, qualquer número entre 5 e 10 filmes poderiam ter preenchido as vagas de Melhor Filme. (Um filme só poderia obter uma indicação se ele conseguisse um mínimo de 5 por cento de votos de primeiro-lugar.) A corrida deste ano de Melhor Filme tem nove candidatos no total, e, infelizmente, a comédia – que provavelmente será anunciado como o Cavaleiro das Trevas deste ano, o hit deixado de lado pela preferência por O Leitor e Tão Forte e Tão Perto – perdeu sua chance. Mas isso é apenas minha opinião. Qual filme você acha que merecia o décimo lugar na lista de Melhor Filme?

A omissão de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 pode ser tão surpreendente para alguns como desdenho por Missão Madrinha de Casamento, especialmente desde que foi preterido não apenas para uma indicação na corrida de Melhor Filme, mas na maioria das categorias principais. Enquanto em 2003, O Retorno do Rei, o capítulo final da saga O Senhor dos Anéis, foi recompensado com a estatueta de Melhor Filme, ao que parece não haverá um prêmio de conquista pela eternidade para a amada e popular série Harry Potter.

Enquanto muitos esperavam, ou pelo menos tinham esperança, que Missão madrinha de Casamento e Harry Potter se tornariam indicados a Melhor Filme, o mesmo poderia ser dito sobre David Fincher em Os Homens Que Não Amavam As Mulheres. Apesar de Rooney Mara ter surpreendentemente ganho uma indicação a Melhor Atriz, o filme em si foi esnobado. (A Academia também não parece sentir a necessidade de recompensar Fincher na categoria de Melhor Diretor depois que ele perdeu no ano passado por A Rede Social.)

Nem mesmo o poder de George Clooney e Ryan Gosling (talvez o maior desprezo na atuação da Academia este ano) puderam ganhar ao drama político Tudo Pelo Poder uma indicação a Melhor Filme, apesar de ter agarrado uma para Melhor Roteiro Adaptado. Outros arriscados, ainda que merecedores, candidatos a melhor filme que ficaram de fora da possível décima vaga: A Separação, O Espião que Sabia Demais, Drive, e Melancolia.


HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE: PARTE 2
Por que Harry Potter merecia mais
The Carpetbagger, NY Times ~ A.O. SCOTT
24 de janeiro de 2012
Tradução: Jenifer Cestari
Revisão: Evandro Lira

Talvez a ideia de que a Academia indique o tanto de filmes possível entre as categorias de alto nível, mais telespectadores terão interesse e mais pessoas assistirão. Fãs de ‘The Tree of Life’, fãs de Meia-noite em Paris, fãs de “A Separation”, fãs de “Rango” – teoricamente falando, tem pra todo mundo.


Ou quase. É curioso que a indústria de filmes, que passa a maior parte do ano cozinhando o apetite por entretenimento dos jovens – com comédias baratas, filmes de super-heróis e filmes pipoca – vire completamente suas costas contra estes filmes e público quando chega a hora do Oscar. Troféus brilhantes são para os adultos! Mas sempre tem alguém reclamando que as crianças não estão assistindo.


Algumas indicações para “Operação Madrinha de Casamento” não vão levá-las até isso. E a grande oportunidade desse ano de premiar o mérito já reconhecendo a popularidade em massa e juntando as gerações. Mas o maior desdém do ano nem se registra como desdém, já que de alguma forma é inconcebível que Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 se classificasse para qualquer indicação grande que não fosse técnica.


Mas por que isso é tão óbvio? Claro que o roteiro de Steve Klove é um modelo de concisão e efetividade, e o diretor David Yates domina tanto grandes sensações como emoções íntimas. No mínimo, os eleitores da academia, que amam qualquer ator britânico, não deveriam reconhecer o supremo trabalho de Ralph Fiennes e Alan Rickman, que criaram dois dos melhores personagens da última década?


É claro que “Harry Potter” não precisa do Oscar. Mas talvez, ninguém precisa.




Textos com a tradução do site Potterish.

Postar um comentário